Você conhece o padrão DICOM?

Nas últimas décadas, os avanços tecnológicos têm permitido o aperfeiçoamento de tratamentos médicos e medicamentos. Com o desenvolvimento de exames e o uso de imagens, os diagnósticos estão cada vez mais precisos e corretos. Atualmente existem diversas ferramentas de geração de imagens produzidas por diferentes fabricantes. Essa demanda tornou essencial a criação de um método que padronizasse a catalogação dessas imagens, bem como sua visualização. O padrão DICOM ocupa esta lacuna e permite a transferência das imagens geradas por equipamentos de diagnóstico de diversos fabricantes.

 

O que é o padrão DICOM?

Criado em 1983, significa “Digital Imaging and Communications in Medicine”, ou, em Português, “Comunicação de Imagens Digitais em Medicina”. Ele consiste em um protocolo para tratamento, armazenamento e transmissão de imagens médicas de forma eletrônica.

O padrão DICOM engloba imagens diagnósticas de tomografias, ressonâncias magnéticas, radiografias e ultrassonografias, entre outros exames. De acordo com o protocolo, as imagens podem circular entre os geradores de imagens, laboratórios, clínicas e hospitais. Isso é possível através da linguagem padrão estipulada, facilitando a comunicação entre os aparelhos de marcas distintas, que normalmente são incompatíveis.

 

Quais vantagens são oferecidas pelo padrão de imagens DICOM?

O DICOM oferece e garante nitidez na concepção das imagens geradas pelos equipamentos, possibilitando um diagnóstico mais preciso. As imagens são convertidas no formato JPEG e salvas em CDs ou na nuvem. Esta última opção possibilita o acesso às informações clínicas de qualquer computador. Além disso, ele assegura a compatibilidade de suas diferentes versões, mesmo as mais antigas.

As normas DICOM armazenam as análises de forma padronizada, através de protocolos clínicos. Desta forma, os dados das patologias tratadas ficam disponíveis, possibilitando o avanço das pesquisas médicas. Por facilitar o compartilhamento das informações, promove e torna mais rápida a emissão de laudos, inclusive de forma remota.

 

Quais são os serviços oferecidos?

O DICOM é mais do que um formato de arquivo e seus serviços englobam outras ferramentas. O “armazenamento” é um serviço para envio de imagens e dados como relatórios e informações do paciente para um sistema de PACS. Em inglês significa “Picture Archive and Communication System” e é um sistema que permite o armazenamento e compartilhamento destas imagens. A “confirmação de armazenamento”, como o nome sugere, é um protocolo que confirma o registro permanente de determinada imagem. Desta forma, o usuário pode eliminar estes arquivos da sua estação de trabalho em segurança.

O serviço “busca e recuperação” possibilita a localização e a recuperação de listas de imagens do seu local de armazenamento. A “lista de tarefas” licencia um equipamento específico para acessar informações de pacientes e exames agendados eletronicamente.

O “procedimento realizado por equipamento” permite a emissão de relatórios sobre exames realizados. Esses relatórios podem incluir dados das imagens, horário e duração dos exames e doses de contrastes utilizadas. O “serviço de impressão” envia as imagens para uma impressora específica, capaz de manter o padrão entre as impressões. Os “arquivos DICOM” são armazenados no formato .dcm e, por agrupar os dados, evita a troca de exames e resultados.

O padrão DICOM oferece maior velocidade e precisão nos diagnósticos. Dessa forma, possibilita a rapidez no início de tratamentos e procedimentos, proporcionando melhoras na saúde e na qualidade de vida dos pacientes.

By | 2018-06-21T13:19:56+00:00 junho 21st, 2018|Sem categoria|0 Comments

About the Author:

Deixar Um Comentário